terça-feira, 27 de setembro de 2011

ESTUDANTES ESCAPAM DE ASSALTO A ÔNIBUS EM GENIPAPEIRO.

Um ônibus da empresa Barros foi assaltado na noite de ontem (25) na comunidade de Genipapeiro. Duas jovens estudantes, que vinham de Natal, onde fizeram a prova do IFRN, relataram ao Nísia Digital como ocorreu a ação criminosa.

As jovens vinham de Natal, onde fizeram a prova da IFRN. Elas entraram no ônibus da empresa Barros no município de São José de Mipibu. O destino do transporte era a cidade de Arês. Quando se aproximavam da casa de uma das meninas, no distrito de Genipapeiro, em Nísia Floresta, um homem pediu parada. O homem adentrou o ônibus e depois de alguns minutos anunciou o assalto, ele estava armado de um revolver calibre 38. Neste momento, uma das jovens estava saindo do veículo e em uma atitude precipitada, puxou a colega e as duas saíram em fuga. Elas conseguiram escapar e foram para casa de uma delas que ficava bem próxima do local. O individuo permaneceu dentro do veículo e conseguiu levar um celular de uma das vítimas. Na saída, havia um comparsa esperando por ele e os dois fugiram em uma motocicleta.

Os especialistas em segurança sempre alertam para não reagir e nem tentar negociar com o criminoso, pois quem está praticando o delito, geralmente está com um adrenalina muito o alta o que pode fazê-lo interpretar mal qualquer atitude da vítima o que pode culminar em uma tragédia.

Devemos ficar atentos todas as vezes que precisarmos usar esse tipo de transporte, pois são presas fáceis para bandidos. Os motoristas são orientados para estacionar todas as vezes que qualquer pessoa pedir parada. E temos que admitir que é praticamente impossível saber se pessoa que vai entrar é ou não alguém que tentará praticar algum delito no veículo. Desta forma é bom lembrar de algumas dicas: sempre levar apenas o necessário nas viagens; tentar colocar dinheiro em partes separadas (uma parte na bolsa ou carteira, uma parte na calça, etc); estar atento a qualquer movimentação suspeita; nunca reagir; nunca tentar negociar com o bandido.

Fonte - Nisia Digital

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

BRs recebem redutores de velocidade


Com um atraso de quase seis meses, os primeiros radares e lombadas eletrônicas começam a ser instalados em trechos da BR-101 e BR-406 que cortam os municípios de São José do Mipibu, Parnamirim e Natal. Coube ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), através do Consórcio Maxivias, a implantação dos equipamentos. Dos dois pardais instalados, somente um está em funcionamento. É o que regula o índice de aceleração dos veículos próximo à Pousada e Restaurante do Macedo, em São José do Mipibu. O outro ainda está em fase de instalação e fica no entorno do Posto Dudu.

Além destes, duas lombadas eletrônicas já estão em funcionamento. Uma delas nas proximidades da "curva da morte", em Felipe Camarão, e a outra num trecho próximo à rotatória que dá acesso a Pium pela BR-101 (sentido Parnamirim-São José de Mipibu). As placas de sinalização delimitando o limite de velocidade em relação aos radares, só foram fixadas no pardal que está funcionando em São José do Mipibu. A velocidade padrão é 80km/h. Já nas lombadas eletrônicas, o limite máximo é de 60km/h.

No final da manhã de ontem, funcionários da empresa terceirizada pelo Dnit, o Consórcio Maxivias, realizavam testes no radar eletrônico no trecho próximo à entrada do Aeroporto Augusto Severo. Um dos trabalhadores, mesmo sem ter sido indagado, afirmou que não responderia nenhuma pergunta. Entretanto, de acordo com informações divulgadas pelo Dnit em novembro do ano passado, o Rio Grande do Norte receberá 45 avanços de sinal, 23 radares fixos e 29 barreiras eletrônicas.

Estas últimas serão instaladas em pontos das BRs 101, 110, 226, 304, 405, 406 e 427. Quando entrarem em operação na sua totalidade, ainda de acordo com perspectivas do Departamento, cerca de 70% do número de acidentes nas zonas rurais e urbanas poderão sofrer redução. De acordo com levantamento da Polícia Rodoviária Federal (PRF), até ontem, em todo o estado, ocorreram 2.647 acidentes com 113 mortes. Um dos trechos mais perigosos é o compreendido entre os KMs 84 e 104 (do Viaduto do 4º Centenário ao Complexo Viário de Parnamirim). Somente neste ponto, já foram aplicadas 7.454 autuações em 2011.

Para o comerciante José Coutinho, que trabalha às margens da BR-101 em São José do Mipibu, desde que o radar eletrônico entrou em funcionamento há menos de dois meses, a incidência de acidentes diminuiu. "Os atropelamentos e as batidas diminuíram. A população aprova a instalação do radar aqui na região. Quase toda semana tinha uma morte ou um ferido grave por aqui. Os motoristas passavam voando", afirmou.

Empresa é citada em escândalos

O Consórcio Maxivias, que está instalando os equipamentos eletrônicos nas BRs do Rio Grande do Norte, é citado nos recentes escândalos envolvendo Ministério dos Transportes, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Em 2010, o Dnit resolveu mudar a situação das rodovias federais e determinou a implantação de milhares de lombadas eletrônicas, radares fixos e máquinas que identificam quando os carros avançam o sinal. A licitação para a contratação dos serviços e instalação dos equipamentos foi bilionária. O valor negociado atingiu o patamar de R$ 1,4 bilhão. As obras foram divididas em 12 lotes.

A ascensão da empresa Data Traffic, líder do Consórcio Maxivias, com sede em Goiânia, surpreendeu. Nas concorrências pelos contratos, o consórcio garantiu a vitória em pelos menos quatro lotes, o que lhe rendeu cerca de R$ 190 milhões em contratos.
FONTE-TN

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

'João Grandão' é transferido da Penitenciária de Alcaçuz

O ex-policial militar João Maria da Costa Peixoto, o "João Grandão", foi transferido da Penitenciária Estadual de Alcaçuz na madrugada deste domingo (4), e ainda não se sabe seu paradeiro. O advogado do detento, Marcus Alânio Martins Vaz, afirma que nem a família de João Grandão foi informada sobre seu destino.

Fontes oficiais confirmam que o sistema penitenciário estadual conseguiu 3 vagas no Sistema Federal para o envio de presos tidos como perigosos, e João Grandão seria um deles. Além dele, "Jackson Bombado", acusado de matar o ex-PM Bebeto, também seria um dos transferidos.

Segundo Alânio, há uma informação de que João teria sido transferido para um presídio em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, mas isto ainda não foi confirmado pela autoridades. "Espero que ele realmente tenha sido transferido para uma unidade prisional, e não levado para uma emboscada", disse o advogado.

João Grandão cumpre pena há cerca de um ano, por homicídio. Ele já havia sido preso em 2005, sob acusação de integrar um grupo de extermínio.


Fonte - Tribuna da Norte

Rádio ao Vivo Clique no PLAY