segunda-feira, 19 de setembro de 2011

BRs recebem redutores de velocidade


Com um atraso de quase seis meses, os primeiros radares e lombadas eletrônicas começam a ser instalados em trechos da BR-101 e BR-406 que cortam os municípios de São José do Mipibu, Parnamirim e Natal. Coube ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), através do Consórcio Maxivias, a implantação dos equipamentos. Dos dois pardais instalados, somente um está em funcionamento. É o que regula o índice de aceleração dos veículos próximo à Pousada e Restaurante do Macedo, em São José do Mipibu. O outro ainda está em fase de instalação e fica no entorno do Posto Dudu.

Além destes, duas lombadas eletrônicas já estão em funcionamento. Uma delas nas proximidades da "curva da morte", em Felipe Camarão, e a outra num trecho próximo à rotatória que dá acesso a Pium pela BR-101 (sentido Parnamirim-São José de Mipibu). As placas de sinalização delimitando o limite de velocidade em relação aos radares, só foram fixadas no pardal que está funcionando em São José do Mipibu. A velocidade padrão é 80km/h. Já nas lombadas eletrônicas, o limite máximo é de 60km/h.

No final da manhã de ontem, funcionários da empresa terceirizada pelo Dnit, o Consórcio Maxivias, realizavam testes no radar eletrônico no trecho próximo à entrada do Aeroporto Augusto Severo. Um dos trabalhadores, mesmo sem ter sido indagado, afirmou que não responderia nenhuma pergunta. Entretanto, de acordo com informações divulgadas pelo Dnit em novembro do ano passado, o Rio Grande do Norte receberá 45 avanços de sinal, 23 radares fixos e 29 barreiras eletrônicas.

Estas últimas serão instaladas em pontos das BRs 101, 110, 226, 304, 405, 406 e 427. Quando entrarem em operação na sua totalidade, ainda de acordo com perspectivas do Departamento, cerca de 70% do número de acidentes nas zonas rurais e urbanas poderão sofrer redução. De acordo com levantamento da Polícia Rodoviária Federal (PRF), até ontem, em todo o estado, ocorreram 2.647 acidentes com 113 mortes. Um dos trechos mais perigosos é o compreendido entre os KMs 84 e 104 (do Viaduto do 4º Centenário ao Complexo Viário de Parnamirim). Somente neste ponto, já foram aplicadas 7.454 autuações em 2011.

Para o comerciante José Coutinho, que trabalha às margens da BR-101 em São José do Mipibu, desde que o radar eletrônico entrou em funcionamento há menos de dois meses, a incidência de acidentes diminuiu. "Os atropelamentos e as batidas diminuíram. A população aprova a instalação do radar aqui na região. Quase toda semana tinha uma morte ou um ferido grave por aqui. Os motoristas passavam voando", afirmou.

Empresa é citada em escândalos

O Consórcio Maxivias, que está instalando os equipamentos eletrônicos nas BRs do Rio Grande do Norte, é citado nos recentes escândalos envolvendo Ministério dos Transportes, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Em 2010, o Dnit resolveu mudar a situação das rodovias federais e determinou a implantação de milhares de lombadas eletrônicas, radares fixos e máquinas que identificam quando os carros avançam o sinal. A licitação para a contratação dos serviços e instalação dos equipamentos foi bilionária. O valor negociado atingiu o patamar de R$ 1,4 bilhão. As obras foram divididas em 12 lotes.

A ascensão da empresa Data Traffic, líder do Consórcio Maxivias, com sede em Goiânia, surpreendeu. Nas concorrências pelos contratos, o consórcio garantiu a vitória em pelos menos quatro lotes, o que lhe rendeu cerca de R$ 190 milhões em contratos.
FONTE-TN
Compartilhar:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Redes Sociais

A melhor programação

Seguidores do Google

Arquivo