domingo, 29 de janeiro de 2012

Polícia tenta conter 'crimes de verão'

Verão é época de intensificação do movimento turístico no litoral potiguar. Inúmeras famílias se deslocam para casas de praia e pessoas de todo o país, e até mesmo do exterior, buscam aproveitar o período de férias no Rio Grande do Norte. Com a migração da população, a criminalidade também toma novas formas visando aproveitar as oportunidades criadas. No litoral, os bandidos atacam casas desprovidas de segurança e promovem arrastões. Na capital, invadem imóveis desertos em razão do período do ano. As autoridades de segurança pública classificam o fato como a "sazonalidade do crime" e realizam estudos estatísticos no sentido de antecipar e prevenir o cometimento de delitos.



Investigações de crimes já constataram as relações do período do ano com a quantidade e a especificidade dos delitos. O verão, ao propiciar lazer e interação social, pode levar a atitudes violentas relacionadas ao aumento no consumo de álcool. "A sazonalidade está ligada à Teoria Sociológica do Crime. A criminalidade é migratória e tem especificidades determinadas em diferentes períodos do ano". A explicação é do comandante-geral da Polícia Militar, coronel Francisco Canindé de Araújo Silva.

Visando combater o índice elevado de criminalidade, a PM já pôs em prática o reforço na segurança através da operação Verão. Atuando em vertentes como a realização de blitzen e a fiscalização da orla, a Corporação quer minimizar os efeitos da sazonalidade do crime. Para o coronel Araújo, o reforço no patrulhamento na Operação Verão tem surtido efeito. Ele alerta que a intensificação ocorre durante os finais de semana e nas praias de maior movimentação. "O nosso trabalho tem conseguido inibir atitudes delituosas. Isso principalmente nos crimes de trânsito. Muitas blitzen têm sido realizadas", declarou em entrevista no dia 14 de janeiro.



O coronel confirmou as dificuldades iniciais enfrentadas pela Operação Verão, mas esclareceu que o trabalho ocorre normalmente agora. "Realmente, com o atraso das diárias operacionais e a ausências das viaturas novas, começamos de maneira tímida. Mas agora, com o pagamento das diárias e as caminhonetes entregues, está tudo como o planejado", informou.

Com o início do mês de fevereiro, as preocupações se voltam para os festejos do Carnaval. As semanas que antecedem o feriado recebem preocupação especial por parte da Polícia Militar. "Sabemos que é um período em que assaltos ocorrem pois os criminosos buscam dinheiro para poder curtir a festa e custear as brincadeiras. Estamos atentos a isso", pontuou o coronel Araújo.

Segundo ele, já há um remanejamento de efetivo baseado em um "planejamento inteligente". Ainda durante 2011, a Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesed), instaurou a subcoordenadoria de estatística e análise criminal. Através da interpretação semanal dos números, as autoridades de segurança perseguem a criminalidade e tentam antecipar o seu comportamento. "Percebemos a migração da chamada mancha criminal quando deslocamos o efetivo para determinada área. A interpretação semanal dos dados nos ajuda a compreender a realidade do crime na capital do Estado", afirmou o comandante-geral da PM.

Para a PM, outras datas do ano recebem a mesma atenção. Períodos como os festejos juninos, durante o mês de junho e julho, festas de final de ano e o Carnatal são oportunidades enxergadas por criminosos para cometer delitos e "lucrar" com a situação. Somente durante a edição 2011 do Carnatal, mais de 1.300 policiais militares/dia foram deslocados para a região da micareta no intuito de garantir a segurança de quem participava do evento.

Aumenta violência nas estradas

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) também está atenta às variações da quantidade de acidentes ao longo do ano e planeja operações para evitar colisões através da conscientização de motoristas. Em ação inédita, o governo federal lançou a Operação RodoVida. O objetivo é reduzir a gravidade dos acidentes de trânsito com ações integradas entre a Polícia Rodoviária Federal (PRF), policias estaduais e agências de trânsito. Diagnóstico realizado pela PRF mostra que 60 trechos de dez quilômetros de extensão respondem por 22% dos acidentes mais graves atendidos pela corporação. É nesses 600 quilômetros de rodovias que as ações coordenadas pela PRF acontecerão até o próximo dia 27 de fevereiro deste ano.

Uma característica comum a todos esses pontos levou à integração das ações: em todos existe a confluência de vias estaduais ou municipais para as rodovias federais. Assim, a ação simultânea nas rodovias e vias de acesso vai aumentar a segurança e propiciar a redução dos acidentes.

"O foco estará no combate à embriaguez ao volante e na fiscalização de motocicletas. O primeiro por ser uma das principais causas de acidentes graves e o segundo por ser um veículo que vem se destacando em relação ao número de acidentes nos últimos anos", disse o inspetor da PRF, Evaldo Morais.

A hora da morte em Natal: 20h30

A sazonalidade do crime também ocorre no comportamento criminal diário. 20h30. Esse é o horário em que os homicídios ocorrem em maior frequência em Natal. A média foi feita levando em consideração dados do primeiro semestre do ano passado e os dados são da Secretaria Estadual de Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed). Dos 144 crimes desse tipo ocorridos na capital do Rio Grande do Norte até a data do levantamento, cerca de 10% foram cometidos entre 20h e 21h. Os dados são da Subcoordenadoria de Estatística e Análise Criminal e revelam qual momento o cidadão está mais vulnerável à violência.

Para o comandante da Polícia Militar do Estado, coronel Araújo, os números estão diretamente relacionados ao tráfico de drogas na capital. "A maioria dos homicídios ocorre em conseqüência de endividamentos com traficantes. O criminoso escolhe o período da noite para acertar as contas porque é mais difícil ele ser reconhecido por possíveis testemunhas. Quase sempre, a vítima é atingida após ação de uma dupla usando moto", afirmou.

Os números da Seac revelam ainda que foram nos fins de semana os dias mais violentos do primeiro semestre. 17,2% dos homicídios aconteceram aos sábados. Esse percentual chega a 19% aos domingos. Por outro lado, com apenas 8,2% dos registros, as quintas-feiras aparecerem como sendo os dias menos violentos.

Bate-papo: » Fábio Rogério Silva, delegado-geral da Polícia Civil

Como o senhor classifica a autuação da PC nesse verão?

A Polícia Civil é parte integrante da Operação Verão. Estamos com delegacias funcionando em praias do litoral Norte e do litoral Sul, através de plantões em finais semana e feriados.

Como se dá esse trabalho?

Os postos estão abertos em Pirangi, Pitangui e Muriú. Esse trabalho é importante para que a PM não tenha que se deslocar até a capital para registrar a ocorrência. Dessa forma, perde-se patrulhamento nas ruas. Além disso, estamos na rua com equipes especializadas de investigação de roubo de carros, investigação de crimes praticados por adolescentes infratores e da Delegacia do Turista.

Existem práticas de crimes que se intensificam durante o período?

Existem crimes mais comuns para essa época do ano. São casos de assaltos a residências, que estamos tentando diminuir. Investigações Civil já prendeu quadrilhas responsáveis por arrastões em praias do litoral potiguar. .

FONTE-TRIBUNA DO NORTE

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Rosalba é reprovada por 58% e Micarla por 89% dos Natalenses.

A governadora Rosalba Ciarlini e a prefeita de Natal Micarla de Sousa não conseguiram reverter os índices de desaprovação nos últimos seis meses. Pesquisa Certus, registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob o número 002-2012, apontou que as gestões estaduais e municipais se mantém com os mesmos percentuais de desaprovação de seis meses atrás, considerando a margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos. Tanto a governadora Rosalba quanto a prefeita Micarla tiveram um pequeno crescimento na desaprovação, mas que se mantém dentro da margem de erro da pesquisa.


A governadora Rosalba Ciarlini é desaprovada hoje por 58,57% dos natalenses. Outros 25,71% aprovam a gestão. Dos 700 entrevistados da pesquisa, 13,14% não souberaram responder e outros 2,57% não responderam. No comparativo com a pesquisa Certus divulgada na edição da TRIBUNA DO NORTE do dia 10 de julho do ano passado, houve crescimento de quase três pontos percentuais na desaprovação, e a aprovação se manteve praticamente estável. Há seis meses, os números apontavam que Rosalba Ciarlini tinha a gestão desaprovada por 55,6% e era aprovada por 25,4%.

Já a prefeita de Natal Micarla de Sousa teve um pequeno crescimento na desaprovação. Na pesquisa Certus de seis meses atrás, a administração da capital desaprovada por 88,6%. Dessa vez o estudo mostra que o índice de desaprovação chegou a 89%. A aprovação da prefeita teve uma pequena alta inferior a um ponto percentual, o que também se mostra dentro da margem de erro da pesquisa. Em julho de 2010, 7,8% das pessoas aprovavam a administração de Micarla. Dessa vez 8,57% disseram aprovar a gestão. No novo estudo, 1,71% não souberam responder sobre a administração da prefeita e outros 0,71% não responderam.

PRESIDENTA

Entre as administrações municipal, estadual e federal, a presidenta Dilma Rousseff é a única que consegue manter o índice de aprovação, inclusive crescer acima da margem de erro da pesquisa. A Certus identificou que a gestão do Governo Federal é aprovada por 72,57% das pessoas. Na pesquisa feita há seis meses esse percentual era de 61,4%.

No novo estudo, 18,57% desaprovam a gestão da presidenta Dilma Rousseff, 7,57% não souberam responder e outros 1,29% dos entrevistados não responderam. No comparativo com os números da pesquisa passada, houve uma queda no número de entrevistados que desaprovam a gestão do Governo Federal. Há seis meses eram 25,4% das pessoas.

A pesquisa Certus foi realizada nos dias 6 e 7 de janeiro e entrevistou 700 pessoas em 33 bairros das quatro regiões da cidade.

Índice de "péssimo" do governo chega a 22%

Diante da pergunta sobre como avalia a administração, em uma escala de "ótimo" a "péssimo", a pesquisa Certus apontou que 43,29% das pessoas classificaram o governo Rosalba Ciarlini como "regular". Apenas 3,43% consideraram ótimo e 15,43% disseram ser uma administração boa. Já no conceito de ruim foram 12,86% e outros 22% dos entrevistados disseram ser a gestão péssima.

No caso da prefeita de Natal Micarla de Sousa, o alto índice de desaprovação é estampado também na classificação da administração. 65,14% das pessoas consideram a administração da gestora da capital péssima e outros 14% dos entrevistados disseram ser "ruim". A administração de Micarla é considerada ótima por apenas 1,71% das pessoas e boa por 3,71%. Na pesquisa Certus 14,86% consideram a administração de Micarla regular.

Na classificação das administrações, a presidenta Dilma Rousseff inverte exatamente a curva de reprovação das gestoras municipal e estadual. O Governo dela é considerado bom por 47% das pessoas e ótimo por 15,43%. Na pesquisa Certus, 24,71% considerou a administração federal "regular". Já 3,57% das pessoas disseram ser ruim e 6,29% péssima.

A pesquisa Certus também apontou as aprovações das gestões municipal, estadual e federal dividida por zona da capital potiguar. No caso da governadora Rosalba Ciarlini a maior desaprovação ocorre na zona Oeste. Naquela região ela é desaprovada por 62,7% das pessoas. A maior aprovação da gestão estadual é na zona Leste, onde 27,62% dos entrevistados disseram aprovar a gestão.

Já a prefeita de Natal Micarla de Sousa tem o maior índice de desaprovação na zona Sul, onde 92,5% das pessoas disseram desaprovar a gestão. Na zona Leste está o maior índice de aprovação da gestão municipal, com 14,29% dos entrevistados dizendo aprovar a administração. Sobre a prefeita de Natal, a pesquisa Certus fez uma extratificação por religião e mostrou que a aprovação da prefeita entre os evangélicos alcança o dobro do índice verificado entre os católicos.

Governadora considera que percentual é o esperado

A governadora Rosalba Ciarlini avaliou que os índices de desaprovação da sua gestão, chegando a quase 60%, já eram esperando devido ao ano difícil de 2011. "Encontramos o Estado em uma situação difícil economicamente. Para recuperar o equilíbrio financeiro tivemos que adotar algumas medidas que desagradaram alguns setores, como o funcionalismo (no caso da não implantação do plano de cargos carreiras e salários). Mas o importante é que o Estado está recuperando o equilíbrio financeiro a ponto de ser considerado pelo Tesouro Nacional como o melhor Estado do Nordeste em recuperação financeira", destacou a governadora Rosalba Ciarlini. Ela citou que houve uma redução nos gastos do Governo do Estado,mas, em contrapartida, já foi possível oferecer alguns reajustes, como o caso do magistério, que passou a receber o Piso Nacional do Professor. "Aplicamos um reajuste de 34% no salário dos professores", destacou a chefe do Executivo.

Como medidas de redução de gastos ela citou 43% de diminuição no número de diárias, no comparativo com 2010 e 6,8 milhões de litros de combustível no ano. "Conseguimos economizar 18mil litros de combustível por dia", ressaltou a chefe do Executivo. Ela citou também as medidas para recuperar a credibilidade do Estado junto ao Ministério do Esporte, Governo DFederal e Fifa, conseguindo viabilizar a Copa do Mundo em Natal.

A reportagem da TRIBUNA DO NORTE procurou também o secretário municipal de Comunicação, Jean Valério, para entrevista a prefeita Micarla de Sousa. Ele afirmou que o Executivo não comentará pesquisa. Mas destacou que "a prefeita tem se dedicado a um planejamento estratégico e antecipar vários investimentos importante que a cidade terá".

O secretário citou o exemplo das obras de mobilidade da Copa do Mundo, "que serão iniciadas em fevereiro". Jean Valério também afirmou que a Prefeitura fará a recuperação das avenidas da cidade e a conclusão da "modernização da saúde, com mais uma Unidade de Pronto Atendimento.

FONTE - TRIBUNA DO NORTE

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Novo salário mínimo nacional de R$ 622 entrou em vigor neste domingo.


Entrou em vigor dia 01 de Janeiro 2012 o reajuste do salário mínimo, que passa de R$ 545 para R$ 622, um aumento de R$ 77. O novo salário mínimo corresponderá a R$ 20,73 por dia e o valor pago pela hora de trabalho será de R$ 2,83.

De acordo com cálculos do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o aumento de 14,13% vai injetar R$ 47 bilhões na economia brasileira. Descontada a inflação estimada para 2011, o aumento real do salário mínimo deve ser de 9,2%.

Ainda segundo o Dieese, 48 milhões de pessoas têm sua renda vinculada ao valor do salário mínimo e, portanto, serão diretamente beneficiadas com o aumento. O governo também passará a arrecadar R$ 22,9 bilhões a mais devido ao aumento do consumo causado pelo reajuste.

O novo salário mínimo de R$ 622 terá impacto de R$ 23,9 bilhões nas contas públicas em 2012. De acordo com governo, a maior parte desse montante corresponde aos benefícios da Previdência Social no valor de um salário mínimo que serão responsáveis pelo aumento de R$ 15,3 bilhões nas despesas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

O método de reajuste do salário mínimo foi definido por meio de medida provisória aprovada pelo Congresso. A lei que fixa a política de reajuste do salário mínimo estabelece que o valor será reajustado, até 2015, com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes.

Também começa a valer hoje o reajuste de 14,12% no valor do benefício do seguro-desemprego. Com isso, o valor máximo pago ao trabalhador passa de R$ 1.010,34 para R$ 1.163,76. O percentual de reajuste está em resolução do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador publicada no dia (30) no Diário Oficial da União.

O benefício é pago em, no máximo, cinco parcelas de forma contínua ou alternada. Quem, nos últimos três anos, trabalhou entre seis meses e 11 meses recebe três parcelas. Aqueles que trabalharam entre 12 meses e 23 meses recebem quatro parcelas e quem comprovar vínculo empregatício de, no mínimo, 24 meses, recebe cinco parcelas.

Tem direito ao seguro-desemprego o trabalhador dispensado sem justa causa, que tenha recebido salários consecutivos no período de seis meses anteriores à data de demissão e tenha sido empregado de pessoa jurídica por pelo menos seis meses nos últimos 36 meses.
O trabalhador tem do sétimo dia ao 120º dia após a data da demissão do emprego para requerer o benefício.

Fonte: Agência Brasil

Rádio ao Vivo Clique no PLAY