sexta-feira, 20 de abril de 2012

Financeiras vão aderir aos cortes de juros

Depois dos grandes bancos, agora é a vez de as financeiras cortarem as taxas de juros para não perder clientes. 'Todas vão reduzir as taxas no limite do possível. No decorrer do mês que vem, vamos ter boas novidades', avisou Érico Ferreira, presidente da Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi), que reúne 64 financeiras.

Desde que o governo sacudiu o mercado de crédito duas semanas atrás e usou os bancos oficiais para forçar a redução dos juros, a competição se acirrou até entre a Caixa e o Banco do Brasil (BB). Quem saiu ganhando foi o consumidor, como o funcionário público João Paulo da Silva Barreto, de 30 anos.

Funcionário do Judiciário, ele acaba de fazer uma operação de portabilidade: levou um crédito consignado obtido no BB para a Caixa. 'Valeu mudar porque a taxa de juros da Caixa é menor', disse Barreto, que não fechou a conta salário no BB. A taxa de juros mensal cobrada pela Caixa é de 1,2% e, no BB, de 1,37%. Isso dá uma redução de R$ 14 na prestação atual de R$ 1.430, de um empréstimo de R$ 45 mil, financiado em 40 meses.

Além das condições mais vantajosas de empréstimo, Barreto disse que optou pela migração porque pretende obter um outro financiamento para compra de imóvel. Por isso, ele acha interessante ter conta na Caixa.

Guerra. O vice-presidente de Atendimento e Negócios da Caixa, José Henrique Marques da Cruz, descreveu a 'operação de guerra' que foi montada pelo banco para atender ao aumento significativo no número de clientes ocorrido em duas semanas. A partir de segunda-feira, todas as agências vão abrir uma hora mais cedo. 'Deslocamos até funcionários de áreas 'meio' para o atendimento', contou.

No dia 12 de maio, um sábado, as principais agência vão funcionar só para atender o público e fazer simulações sobre as novas condições dos empréstimos.

O executivo ilustra com números o crescimento da procura por informações sobre crédito. Desde o dia 9 de abril até ontem, o site da Caixa recebeu 1,035 milhão de visitas e realizou 421 mil simulações de crédito. O telemarketing, com 350 funcionários, montado exclusivamente para informar sobre o novo pacote de crédito, recebeu 40.730 ligações.

Além da maior procura, há números vigorosos de aumento nos empréstimos. Em duas semanas, foram fechados na Caixa 26,7 mil financiamentos de capital de giro para empresas, com alta de 276% sobre o período imediatamente anterior. Para o consumidor, o banco aprovou no período 84,7 mil novos créditos, volume 20% maior do que o de duas semanas atrás.

Cruz disse que dinheiro não falta para bancar a ofensiva no crédito. 'O banco tem R$ 78 bilhões para o programa e há margem para ampliar a cifra.' Quanto ao risco, ele disse que o seu é mais baixo do que o do mercado.

* Fonte: Estadão.
Compartilhar:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Redes Sociais

A melhor programação

Seguidores do Google

Arquivo