quarta-feira, 15 de abril de 2009

Energia elétrica terá um reajuste de 7,36% no RN

A conta de energia elétrica dos potiguares vai ficar mais alta a partir da próxima semana. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou ontem um reajuste médio de 11,97% para a tarifa cobrada atualmente pela Cosern. Porém, com a aplicação de alguns cálculos, o impacto para o consumidor será um pouco menor: em média 7,36%, sendo que o incremento será 6,01% para os clientes de baixa tensão (residências e comércios) e uma média de 9,63% para a alta tensão (indústrias).

A mudança no preço começa a valer a partir do próximo dia 22 e atinge os 167 municípios do Rio Grande do Norte. Segundo informações da assessoria de imprensa da Cosern, o grupo de baixa tensão representa um universo de mais de 1 milhão de consumidores, que correspondem a aproximadamente 99% do total de clientes atendidos pela empresa. Já a faixa de alta tensão é composta por 2,3 mil empresas e grandes consumidores.

Levando em conta que a tarifa média cobrada atualmente pela Cosern é de R$ 236 por megawatt-hora (Mwh) e que o consumo médio de um cliente residencial comum fica em torno de 100 quilowatt-hora mensais (0,1 Mwh/mês), a conta final para o consumidor aumentará em aproximadamente R$ 1,41. Isso significa dizer que quem consome cerca de 100 Kwh/mês paga hoje uma média de R$ 23,60 e agora passará a gastar R$ 25,01.

A Cosern ainda não se pronunciou oficialmente sobre a aplicação do reajuste. Através de sua assessoria de imprensa, a empresa informou que as áreas técnicas devem se sentar hoje para avaliar que impacto a mudança trará e se o reajuste atende às necessidades da concessionária. Atualmente, a média de tarifa de energia elétrica é de R$ 254 por Mwh no Brasil e R$ 250 por Mwh na região Nordeste o que coloca os valores cobrados no Rio Grande do Norte em uma posição abaixo dos níveis nacional e regional. Além do reajuste anual da Cosern, a Aneel também aprovou ontem aumentos na Energisa Sergipe, Coelba (BA) e Coelce (CE). Na comparação com as demais empresas, o reajuste da Cosern ficou em terceiro lugar, tanto para as residências quanto para as indústrias (veja quadro comparativo com as tarifas).

Cálculo

A má notícia para o bolso do consumidor vem um ano após uma redução no Rio Grande do Norte aprovada pela revisão tarifária. No ano passado, a Aneel concedeu uma diminuição de de 16,5% no valor pago pelos consumidores Cosern. Na média, as tarifas tiveram um abatimento de 5,8%, sendo de -2,14% para os clientes residenciais de baixa tensão e entre -16,57% para médias e grandes empresas.

A revisão é realizada a cada quatro anos e corresponde à uma avaliação mais aprofundada, levando em consideração desde os balanços da empresa até a opinião dos consumidores sobre o serviço prestado.
FONTE - www.tribunadonorte.com.br

Nenhum comentário:

Rádio ao Vivo Clique no PLAY